Todas as Notícias

Por que devo me importar com a gestão financeira?

Muitas vezes, a carreira do médico vem acompanhada do sucesso financeiro do profissional. Após a graduação, grande parte dos médicos consegue um bom rendimento no ambiente de trabalho, em decorrência do volume de serviços prestados. Entretanto, para estes profissionais liberais - que trabalham sem carteira assinada – o fator de sazonalidade pode ser um problema.

Ter um rendimento mensal variável de acordo com a quantidade de serviços prestados é um sinal de insegurança quanto às finanças do médico, que pode ter sua renda reduzida consideravelmente de um mês para o outro em decorrência de fatores externos, como menos consultas, menos plantões ou menos cirurgias.

Uma boa gestão financeira garante com que o profissional da saúde não tenha surpresas em meses de menos rendimento. (Fonte: Unsplash)

Tendo isso em mente, sabemos que é imprescindível ter um bom planejamento e gestão do seu dinheiro. Para manter suas finanças em dia, recomendamos quitar as dívidas relacionadas ao seu estudo – caso a sua faculdade tenha sido financiada, por exemplo - o quanto antes, bem como poupar e investir o dinheiro que sobra. Assim, em meses de menor faturamento, você terá a tranqüilidade de ter uma reserva caso seja necessário.

É imprescindível fazer tudo isso com responsabilidade, e nada como alguém especializado em finanças na área da saúde para isso. A Medb atua na área de gestão financeira e contabilidade médica há quatro anos, e conta com todo o conhecimento e experiência necessários para garantir a saúde das suas finanças. Entre em contato conosco!

Contabilidade para profissionais da área da saúde

Quando você está com dores pelo corpo, a quem procura? E quando a dor é de dente? Se o problema for falta de combustível para o carro? E quando quer um sapato novo? Nós esperamos que as suas respostas tenham sido médico, dentista, posto de gasolina e sapataria, nesta ordem.

Ser especialista em algo significa ser autoridade no assunto. Um bom especialista conhece detalhadamente o segmento em que atua, o que faz com que os seus serviços sejam focados nas necessidades do cliente.

Um profissional da área da contabilidade, por exemplo, que atenda todos os perfis de empreendedores se limitará as questões tributárias, trabalhistas e societárias de forma generalizada, e não exclusiva, como o contador que atende somente o profissional da área da saúde.

Serviços especializados são focados nas necessidades do cliente.

A busca por este tipo de serviço tem crescido. A este crescimento, atribuímos as vantagens que a personalização traz.

Uma delas é o atendimento personalizado, pois um escritório focado em profissionais da saúde já conhece o cotidiano da área e, por isso, se familiarizará de modo que o serviço seja oferecido de acordo com as necessidades destes profissionais.

Outra grande vantagem é em relação à adequação tributária. São muitos os tipos de tributação e diferentes grupos tributários, para cada tipo de trabalho ou serviço. A falta de preparo pode causar prejuízos financeiros, bem como perca de tempo ao empreendedor.

E por fim, melhor organização das finanças. O contador especialista poderá discernir quais as tributações mais indicadas, executar os melhores resultados para maximizar os lucros e orientar o cliente quanto ao controle sobre as receitas e do fluxo de caixa.

Você médico, dentista, psicólogo, fisioterapeuta, esteticista, fonoaudiólogo, educador físico, dentre outros profissionais da área, pode e deve confiar a contabilidade da tua empresa a profissionais experientes, que possam zelar pela saúde do teu negócio.

O que acontece com quem não declarar o Imposto de Renda

Milhares de brasileiros enviam, todos os anos, para a Receita Federal a declaração do Imposto de Renda. A expectativa para este ano é que 28,8 milhões de contribuintes entreguem até o dia 30 de abril. Mas e os que não declararem, o que acontece?

Perder a entrega ou não fazer a declaração do Imposto de Renda pode render dores de cabeça ao contribuinte.

Uma imediata é o status de pendente de regularização que o Cadastro de Pessoa Física (CPF) adquire, o que complica a vida financeira do contribuinte, já que o documento é obrigatório para várias tarefas, como por exemplo fazer empréstimos, compra, venda ou aluguel de imóvel, tirar passaporte, prestar concurso público ou ainda movimentar contas bancárias.

O contribuinte que deixar de declarar fica ainda sujeito ao pagamento de uma multa, que começa a contar já no primeiro dia após o prazo de entrega ser encerrado. O valor pode variar de 1% ao mês a 20% do imposto devido.

Não deixe para a última hora! O prazo encerra no dia 30 de abril. Precisa de ajuda? Procure um contador de sua confiança para saber se você precisa declarar e quais os procedimentos necessários.

Contabilidade e finanças devem caminhar lado a lado

Você sabia que a contabilidade e as finanças da sua empresa podem caminhar lado a lado? Aqui na Medb+ é assim. Oferecemos serviços financeiros integrados aos nossos serviços contábeis, o que gera resultados ainda melhores para os empreendedores.

São várias as vantagens da integração entre serviços de ambas as áreas. Uma delas é a organização e a agilidade no envio dos documentos. Com o controle de caixa integrado, todo o fluxo de informação da empresa se mantém organizado e a movimentação financeira circula de forma mais simples e rápida.

Outra vantagem é a melhor comunicação entre contador e financeiro, que traduz em menos erros e uma maior precisão nos registros da empresa, além de maior assertividade nas análises de informações.

Também vale destacar a melhor conciliação bancária. Com menos erros relacionados à contabilidade e finanças, o empresário melhora a sua conciliação bancária, entende a movimentação da empresa e reduz o tempo na atividade para cuidar de sua operação.

Por fim, claro, o crescimento do negócio. Em resumo, integrar contabilidade a finanças começa no controle financeiro, passa pela análise do fluxo de caixa, orçamento financeiro, e termina no crescimento da sua empresa.

Há quatro anos, Medb+ integra serviços financeiros aos serviços contábeis

Por que contratar serviços isolados, se contabilidade e finanças podem caminhar juntas? Entre em contato conosco e peça um orçamento sem compromisso.

Entenda porque hoje é comemorado o Dia Internacional da Mulher

Apenas oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1977 como o Dia Internacional da Mulher, 8 de Março é uma data fomentada e celebrada desde o começo do século XX com preceitos como igualdade entre os gêneros e direitos das mulheres, e também oriunda de uma raiz trabalhista na qual mulheres operárias exigiam melhores condições de trabalho.

É muito comum associar o incêndio ocorrido na fábrica têxtil em 25 de março de 1911, quando cerca de 125 operárias mulheres morreram queimadas em Nova Iorque, como o gatilho para a data escolhida para celebração, mas é preciso ressaltar que a onda de protestos causadores começou bem antes, desde o final do século XIX, com organizações femininas derivadas dos movimentos operários em toda a Europa e Estados Unidos, denunciando as exaustantes jornadas de trabalho de 15 horas por dia e a remuneração insuficiente.

Há várias datas as quais podem ser relacionadas como decisivas para o parecer da ONU e o dia 8 de Março. Vamos mostrar uma breve linha do tempo para facilitar a compreensão do leitor.

Uma linha do tempo dos primeiros “Dia das Mulheres”

A primeira que podemos considerar como uma prévia do que vemos hoje foi em 28 de Fevereiro de 1909, com a grande passeata das mulheres, em Nova Iorque, atingindo o público de aproximadamente 15 mil mulheres marchando pelas ruas da cidade em busca de melhores condições de trabalho, o que culminou em uma longa greve têxtil que fechou quase 500 fábricas americanas.

Trabalhadoras protestando na grande passeata das mulheres, em Nova Iorque.

A Europa não ficou para trás com a alemã Clara Zetkin, que em agosto de 1910, propôs em reunião da Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas a criação de uma jornada de manifestações. Mais de 17 países que participavam da conferência aprovaram a fundação de uma data para a celebração dos direitos das mulheres com objetivo de homenagear as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o voto universal em diversas nações.

A partir do início da Primeira Guerra Mundial, outros pontos de protestos despertaram mundialmente, e dia 8 de Março de 1917, cerca de 90 mil operárias russas se rebelaram contra o Czar Nicolau II manifestando-se contra a fome e a miséria vivida por todas no país. Tal manifestação também ficou conhecida como o estopim para a Revolução Russa e, após a revolução bolchevique, a data foi oficializada entre os soviéticos como celebração da "mulher heróica e trabalhadora".

Oficialização

Apenas 20 depois, em 1945, a ONU assinou o primeiro acordo internacional que garantia os direitos das mulheres à igualdade entre os gêneros. Desde então o movimento feminista ganhou força e, em 1975 foi comemorado o Ano Internacional da Mulher, tendo em 1977, oficializado o dia 8 de Março como Dia Internacional da Mulher. "O dia oito de março funciona como atualização das lutas, das necessidades e das demandas das mulheres de uma determinada época. É uma data política que, a cada ano, se reinventa para reforçar a importância da igualdade de oportunidades, espaços e poder,” comenta à Medb a doutora em educação Fernanda Accorsi, cujo doutorado foi voltado a práticas pedagógicas filóginas em sala de aula.

Na atualidade, o dia 8 de Março é celebrado mundialmente ainda com cunho político, exigindo igualdade de gênero, respeito, fim do feminicídio entre outras pautas. Um exemplo de manifestação é Marcha das Mulheres que acontece nos Estados Unidos, sendo uma das mais famosas entre a luta feminista nos dias de hoje. Além de contar com outros protestos difundidos pelo mundo todo, inclusive no Brasil, que vem lutando a favor das mulheres desde 1982, quando criou o Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo e, em 1985 quando elaborou a Delegacia Especializada da Mulher. “A luta das mulheres é histórica, mas as demandas não são as mesmas de anos passados. A pluralidade sobre o feminino é a marca de oito de março de 2019, pois as lutas das mulheres indígenas não são as mesmas das mulheres brancas, as demandas das mulheres do campo não são as mesmas das urbanas” corrobora Accorsi.

Marcha das Mulheres, 2016, nos Estados Unidos da América.

“Ao atualizar as necessidades e lutas das mulheres, o dia oito de março evidencia que ainda há muito o que fazer por, com e para as mulheres," finaliza a doutora. As conquistas são enormes, temos que reconhecê-las e valorizar toda e qualquer antepassada que nos ajudou a chegar até aqui, mas ainda estamos muito longe da tão sonhada igualdade, então continuar lutando também é essencial. Por isso, nós da Medb dedicamos esse espaço, toda nossa compreensão e apoio a luta e a vocês, mulheres.

O que muda com a proposta de Reforma da Previdência

Talvez um dos assuntos mais comentados da última semana foi a entrega da nova proposta de emenda à Constituição para a Previdência ao Congresso Nacional pelo governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. A iniciativa divide opiniões dos brasileiros, porém, o que realmente vai mudar com a reforma? Listamos o que mais chama a atenção no texto que irá para votação.

Texto foi entregue ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro, na última semana

As principais mudanças estão relacionadas à aposentadoria por tempo de contribuição, que deixará de existir. Atualmente, não há exigência de idade mínima para quem queira se aposentar.

Com a reforma, segundo o texto, o contribuinte precisará de uma idade mínima para se aposentar, que será de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres.

Outro ponto em destaque é em relação ao tempo mínimo de contribuição para se aposentar. Atualmente, é exigido que o contribuinte tenha, pelo menos, 15 anos de contribuição para a aposentadoria por idade

Também mudará a fórmula de cálculo do valor da aposentadoria. Para aqueles que ganham mais de um salário mínimo, para receber o salário de benefício integral, ou seja, 100% da média das contribuições, serão  necessários 40 anos de contribuição.

Duas categorias que, historicamente, tem redução de idade também terão mudanças. Com a nova proposta, trabalhadores rurais e professores se aposentarão com, no mínimo, 60 anos.

Outro ponto bastante discutido sobre a Reforma da Previdência em 2019 é o limite progressivo na acumulação entre aposentadorias e pensões.

Quer saber mais? Leia o texto em questão na íntegra.

Vale lembrar que tudo ainda é apenas uma proposta. O texto passará por votação na Câmara dos Deputados e no Senado Federal e pode sofrer ainda diversas modificações. E nós continuaremos acompanhando.

Conheça os três regimes tributários do Brasil

Que todas as empresas precisam pagar impostos ao governo você já sabe. Mas como isso é feito? A resposta é: por meio dos chamados regimes tributários, um conjunto de normas e leis que define a forma de tributação nas empresas, quais impostos irá pagar e quanto irá pagar por cada um.

A escolha do regime tributário é feita durante o ato de abertura da empresa, porém, ao fim de cada exercício fiscal, se for do interesse do empreendedor ou ainda se as características do negócio permitirem, é possível alteração da escolha.

Hoje, no Brasil, são três os tipos de regime tributário: Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido. Vamos conhecê-los?

O Simples Nacional costuma ser o mais procurado e utilizado no país, principalmente por simplificar o pagamento reunindo, em uma só guia, 8 impostos. Também por ter alíquotas menores que os demais. Para ser enquadrado neste regime é preciso ter o faturamento máximo de 4,8 milhões, além de especificidades quanto à atividade da empresa, quadro de funcionários, entre outros.

Já o Lucro Presumido é o mais procurado especificamente por prestadores de serviço. Ele é calculado conforme a atividade desenvolvida pela empresa, sendo que a incidência de impostos tem como base a estimativa do lucro, não o lucro real que ela obteve.

Por fim, o Lucro Real é o tipo de regime as empresas de maior porte costumam escolher. Neste regime, não há a unificação de impostos em uma mesma guia e os impostos são baseados no lucro real da empresa e incidem sobre o faturamento mensal ou trimestral. A adesão vem acompanhada de várias obrigações, como fazer o inventário e o Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE) e apresentar outros documentos que servem para declarar o lucro apurado e que são exigidos pela Receita Federal.

Formas de tributação são escolhidas no ato de abertura da empresa, mas podem ser alteradas com o negócio já em funcionamento

Para encerrar, ressaltamos a importância de conhecer os tipos de regimes tributários para fazer a melhor escolha. Uma escolha errada pode trazer o aumento da carga tributária nos negócios. Se restaram dúvidas, nosso escritório de contabilidade está à disposição para te guiar pelo melhor caminho.

Cuidado para não cair na malha fina

Devido ao rigor na fiscalização das declarações de pessoas físicas, o risco de “cair na malha fina” é constante.

A “malha fina” é como é conhecida popularmente a “Malha Fiscal da Declaração de Ajuste Anual da Pessoa Física”, que é uma revisão de todas as declarações dos contribuintes com o objetivo de evitar fraudes e sonegação de impostos. Mas como isso funciona?

Quando um contribuinte declara sua renda, a Receita verifica todas as informações por meio do cruzamento de dados com diversas instituições, como bancos, estabelecimentos comerciais, e outros.

Erros de preenchimento e informações inconsistentes que podem caracterizar infração podem ser encontrados nesta fase. Dependendo da irregularidade, o processamento da declaração é interrompido e segue para uma análise, até que seja detectado o problema.

Na hora de declarar o Imposto de Renda, todo cuidado é pouco para não ser parado pelo “leão”

Por isso, é importante tomar muito cuidado para evitar erros na declaração.

Mas o que fazer para evitar que a minha declaração caia na malha fina? Segue algumas dicas:

  • O contribuinte só deve declarar gastos com saúde feitos em benefício de si mesmo ou de seus dependentes;
  • Dos gastos com educação, devem ser declarados apenas mensalidades escolares de ensino infantil, fundamental, médico e superior, do contribuinte ou dependentes. Qualquer outro tipo de curso não são dedutíveis;
  • Ao incluir dependentes, todos os rendimentos, bens, direitos e dívidas destes devem ser declarados também;
  • Uma mesma pessoa não pode aparecer como dependente em duas declarações ao mesmo tempo;
  • Para quem mudou de trabalho ao longo do último ano, é preciso declarar também os salários que recebeu do antigo empregador;
  • Cuidado com os erros de digitação numérica de rendimentos;
  • Aqueles que pagam pensão alimentícia, podem descontar o valor na declaração, porém somente se houver um acordo judicial que comprove a obrigação;
  • Alugueis devem ser declarados por quem recebe, assim como os valores pagos pelo contribuinte inquilino também;
  • Não deixar de recolher impostos sobre ganhos com ações.

Ficou claro? Qualquer dúvida, não se esqueça: o seu contador é como uma mão amiga neste período do ano.

Quem deve declarar o imposto de renda

Estamos nos aproximando do período de entrega do Imposto de Renda (IR) da pessoa física. Alguns escritórios de contabilidade já estão em fase de recolhimento de documentos para que a declaração seja entregue até o mês de abril, período em que a Receita Federal define como prazo

O tributo é o mais importante que trabalhadores, aposentados e pensionistas são obrigados a pagar. A declaração é feita anualmente e compreende os rendimentos e bens da pessoa física.

Nesta época, é comum também o surgimento de muitas dúvidas entre os contribuintes. A mais comum, por exemplo, é: quem deve declarar o imposto de renda?

Período é marcado por dúvidas entre os contribuintes. É importante ficar atento às regras para não cair no leão

Segundo as regras da Receita Federal, a declaração é obrigatória para quem:

  • Recebeu no ano de 2018 mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis, relacionados a trabalho, aluguéis, pensões e outros benefícios;
  • Possui capital social jurídico, imóveis, veículos e outros bens que somem, juntos, acima do valor de R$ 300 mil;
  • Tenha ganho de capital na venda de imóveis, veículos e outros bens sujeitos ao IR;
  • Teve receita bruta de atividade rural superior a R$ 142.798,50;
  • Isentou-se do IR sobre o ganho de capital obtido na venda de imóvel residencial e usou o dinheiro integralmente na compra de outro imóvel no Brasil, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda;
  • Recebeu acima de R$ 40 mil em rendimentos isentos (como juros de poupança ou FGTS), não tributáveis (como indenizações em Plano de Desligamento Voluntário e outros tipos) ou tributados na fonte (como 13º salário, ganhos com aplicação financeira e prêmios de loterias);
  • Fez operações em bolsas de valores, de mercadorias e de títulos futuros, ou obteve ganho de capital com esses investimentos em 2016.

Ficou claro? Não deixe para a última hora! A multa para quem não fizer a declaração ou entrega-la com atraso pode chegar a 20% do imposto devido. Procure o seu contador e saiba quais os procedimentos necessários.

No verão, cuidados com a dengue precisam ser dobrados

O verão é a estação propícia para o desenvolvimento de um dos principais problemas de saúde pública do mundo, a dengue. A doença é transmitida por meio da picada do mosquito aedes aegypti, que se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais.

Engana-se quem pensa que ela é pouco agressiva. A dengue pode evoluir para dengue hemorrágica ou síndrome do choque da dengue, que são caracterizadas por sangramento e queda de pressão arterial, ou ainda zika e chikungunya; que podem levar a morte.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), estimam-se que, entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente com a dengue em mais de 100 países, exceto da Europa, cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em consequência da dengue.

A doença

O ciclo de transmissão começa com a fêmea do mosquito, que deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas.

Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de três a 15 dias para os sintomas da doença se manifestarem. Dentre os sintomas da doença, os mais comuns são: febre alta, forte dor de cabeça, dor atrás dos olhos, manchas e erupções na pele, extremo cansaço, moleza e dor no corpo, dores nos ossos e articulações, náuseas e vômitos.

Prevenção

Prevenir é o melhor remédio, já que a grande maioria dos focos de transmissão estão nos próprios domicílios. Elencamos algumas das principais medidas preventivas para evitar que o mosquito se prolifere:

  • Evite água parada em recipientes de quaisquer tamanhos;
  • Coloque tela nas janelas;
  • Coloque areia nos vasos de plantas;
  • Seja consciente com o seu lixo;
  • Coloque desinfetante nos ralos;
  • Mantenha limpas calhas, piscinas e aquários;
  • Use inseticidas e larvicidas;
  • Use repelente.

Prevenção é o melhor caminho. Evitar água parada é a principal recomendação

Importante: Caso sinta os sintomas da doença, procure imediatamente um médico ou uma unidade de saúde mais próxima.



Já tomou bastante água hoje?

Já tomou bastante água hoje? A estação mais quente do ano exige que o nosso corpo esteja bem hidratado.

Especialmente no verão, para manter a temperatura corporal, o organismo perde muito líquido. São, em média, 2 litros de água por dia. O suor que enfrentamos, por exemplo, é uma das maneiras de o nosso corpo eliminar calor, assim como saliva, urina e fezes de perdas naturais de líquido.

Por isso, é essencial a reposição da mesma quantidade diariamente, considerando-se toda a água ingerida pura ou na forma de alimentos, tanto líquidos quanto sólidos.

A estação mais quente do ano exige que o nosso corpo esteja bem hidratado

Beber água ainda é importante para evitar outros problemas de saúde mais comuns em estações quentes, como pedras nos rins, infecções urinárias, oculares e micoses causadas por fungos e bactérias que se proliferam na pele.

Vale também, como já falamos aqui, apostar em alimentos com grande concentração de água, como alface, beterraba, couve, espinafre, pepino, pimentão, tomate, melancia, sucos, morangos, abacaxi, entre outros.

Não espere ter sede para beber água. Tenha sempre uma garrafa de água próxima e mantenha-se hidratado neste verão.


Quem é Pessoa Física e quem é Pessoa Jurídica?

Você sabe diferenciar Pessoa Física (PF) de Pessoa Jurídica (PJ)? Apesar de parecer uma pergunta fácil de responder, ela é bem comum no dia a dia de profissionais da contabilidade. De forma bem resumida, todo ser humano é uma pessoa física e as empresas representam as pessoas jurídicas. Mas não é só isso.

Todo ser humano é uma pessoa física e as empresas representam as pessoas jurídicas

Se consultarmos o Código Civil Brasileiro, veremos que existem muitas diferenças entre os termos, tanto sobre a definição, quanto em relação aos direitos e deveres.

Todas as pessoas são consideradas Pessoas Físicas desde o seu nascimento. Qualquer pessoa como indivíduo é considerada uma PF, mesmo que ainda não tenha o Cadastro de Pessoa Física (CPF) na Receita Federal, principal registro junto a Certidão de Nascimento.

Já as Pessoas Jurídicas são um indivíduo ou um conjunto de pessoas/bens criado de acordo com a lei e com uma finalidade, seja ela administração, prestação de serviços, produção ou comercialização de produtos. São exemplos de PJs: país, estados e municípios, empresas, associações, igrejas e partidos políticos. Para ser uma PJ é preciso registrar-se nos órgãos estadual e municipal competentes e ter finalidade legal. O registro é o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ).

Para finalizar, Pessoas Físicas são sujeitos concretos como eu e você que estamos lendo este texto, enquanto Pessoas Jurídicas são sujeitos abstratos, profissionais por trás das PFs.

MEIs (Microempreendedores Individuais) também são PFs. Por exercer atividade empresarial em seu próprio nome, seu patrimônio e da empresa são os mesmos.

Ficou claro? Esperamos que sim! Vale lembrar que sempre que preciso for, nossa equipe estará à disposição para tirar as suas dúvidas.


Pratique atividades físicas e esportivas ao ar livre

Hora de iniciar o ano perdendo aqueles quilinhos que dezembro sempre traz. Dias mais longos e ensolarados trazem também a possibilidade de melhor aproveitamento do verão com a prática de atividades físicas e esportivas ao ar livre. Além de desfrutar da natureza, criar este hábito proporcionará mais disposição, ânimo e energia durante a rotina. Estar em dia com o seu corpo é fundamental para que todo o seu organismo funcione de maneira correta.

Caminhar, correr, se alongar, praticar esporte são atividades indicadas para aproveitamento do verão

Vale se exercitar, caminhar na praia ou no parque, correr, se alongar ou praticar qualquer esporte de sua preferência, que ajudarão a ativar a sua circulação.

Evite os horários mais quentes do dia, como entre as 10h e 16h. O calor e a alta temperatura podem trazer riscos à saúde, além de não garantirem o melhor rendimento. Prefira o período mais fresco e com menos poluentes no ar, como do amanhecer às 9h.

Quanto ao vestuário, pouca roupa e roupas leves. Bermudas, shorts, camisetas, sem o uso de acessórios, permitem a transpiração e melhor controle temperatura corporal, além de tênis com meia para evitar bolhas produzidas pelo atrito do calçado com a pele.

Isso unido a uma alimentação mais leve e saudável, corpo hidratado e protegido das radiações solares com o filtro solar.

Importante: verifique se os seus exames de saúde estão em dia. Se você leva uma vida sedentária ou deixa a prática de atividades físicas de lado, uma visita ao seu médico e exames complementares podem garantir uma retomada saudável aos exercícios.


Em quais tipos de empresas se enquadram a profissão médica

Recentemente, publicamos aqui uma matéria sobre os diferentes tipos de empresa previstos na legislação e quais as principais diferenças entre eles. Hoje, nosso objetivo é destacar em quais deles se enquadram a profissão médica e também de outros profissionais da área da saúde.

Se você é médico, por exemplo, e vai exercer a profissão como prestador de serviços, precisará atuar como pessoa jurídica (PJ). Neste caso, dentre as naturezas jurídicas que existem no país, as que se encaixam na sua categoria são a Eireli e a Sociedade Limitada.

Médicos que exercerão a profissão com prestadores de serviços precisam abrir uma empresa. Dois caminhos são indicados pelo nosso escritório

Se você vai abrir uma empresa e não tem sócio, nós geralmente recomendamos a Eireli, Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Porém, por obrigatoriedade da lei, no ato de abertura, é preciso integralizar, no mínimo, 100 salários mínimos de capital social. Sem sócio, é a opção que você tem.

Quando não há essa possibilidade de integralização do capital, nós recomendamos a abertura de uma empresa do tipo Sociedade Limitada. Neste caso, o médico poderá abri-la com um sócio que seja leigo, não médico, que entrará para compor o quadro da empresa e geralmente é representado por uma pessoa de confiança dele.

Vale lembrar que os tributos para ambos os tipos são os mesmos.

Conseguiu entender? Se você não quer envolver ninguém, o melhor caminho é a Eireli, porém há a obrigatoriedade do capital de 100 salários. Se não é possível, o melhor caminho é a Sociedade Limitada.

Entenda mais sobre cada um destes tipos clicando aqui.


Alimente-se bem durante a estação

Enquanto os dias mais frios são marcados por tentações calóricas, a estação mais quente do ano exige cuidados maiores com a alimentação. Para a temporada, ressaltamos a importância de alimentos leves e saudáveis, e que não pesem no estômago.

O que evitar:

  • Evite comer alimentos pesados. Frituras e gorduras, por exemplo, demoram mais tempo para serem digeridos, o que sobrecarrega o organismo e prejudica a disposição;
  • Evite também refrigerantes e sucos artificiais;
  • Reduza o consumo excessivo de sal. O sódio é um grande causador da retenção de líquido, ainda pode aumentar os níveis da pressão arterial e ajuda no desenvolvimento das temidas celulites.

O que não pode ficar de fora do cardápio:

  • Alimentos gordurosos podem ser trocados por gorduras do bem, que são encontradas no abacate, no coco, em ovos, castanhas, linhaça e chia;
  • Água de coco, sucos de frutas e chás refrescam e hidratam o corpo;
  • Frutas são ótimas opções. Elas refrescam e proporcionam saciedade. Algumas delas são compostas inteiramente por água, o que ajuda na hidratação do corpo, como é o caso do melão e da melancia. Também são campeãs em proteção, ricas em vitamina C e betacaroteno, com potente efeito antioxidante, que atuam no combate aos danos causados pela excessiva formação de radicais livres, vindos da exposição solar;
  • Outros alimentos em sua forma natural, como verduras e legumes garantem melhor absorção de nutrientes, são pouco calóricos e cheios de vitaminas e minerais;
  • Frutas, legumes, verduras e bebidas naturais estão entre os alimentos mais indicados para a estação

  • Saladas são alimentos leves e saudáveis, com rápida digestão.
  • Carboidratos complexos, como batata doce, inhame e mandioca (ou aipim), fornecem energia e mais nutriente do que os pães e torradas que são fontes de carboidratos simples. Esses alimentos ajudam a ter mais disposição para enfrentar a rotina diária.
  • Cereais integrais e carnes magras devem completar a alimentação com os benefícios vindos das proteínas fundamentais para crescimento e reparação do organismo;
  • Por fim, beba muita água. Manter o organismo hidratado é extremamente importante.

Para encerrar, o ideal é investir em refeições pequenas ao longo do dia, para não sobrecarregar o organismo e manter o bom fornecimento de energia. Com essas dicas, você aproveitará o verão com muita saúde.


Se exponha, mas não se queime

O sol é fundamental para a saúde e o funcionamento do corpo. Porém, só não vale exposição sem proteção! Dezembro já passou, mas os cuidados com a pele precisam prevalecer por todo o ano, principalmente no verão. A radiação solar pode causar e agravar problemas da pele como queimaduras, manchas e melasma, ou, na pior das hipóteses, o desenvolvimento de um câncer da pele, o mais incidente no país.

Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) alerta quanto ao uso do filtro solar, principalmente na temporada mais quente do ano.

A exposição à radiação ultravioleta (UV) tem efeito cumulativo e os raios solares penetram profundamente na pele. É preciso criar o hábito de usar diariamente o filtro solar em todas as áreas expostas do corpo.

Filtros solares mais indicados são o com, no mínimo, FTS 30, de acordo com a SBD

Segundo a SBD, o filtro solar ideal deve ter fator de proteção solar (FTS) 30, boa absorção dos raios UVA e UVB, não ser irritante, ter certa resistência à água e não manchar a roupa. Ele deve ser aplicado ainda em casa, pelos menos 30 minutos antes da exposição, para que a pele o absorva, e reaplicado a cada duas horas, se houver muita transpiração ou exposição solar prolongada.

Outras medidas são estratégias de prevenção complementares, como chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo.

Seguindo estas dicas, você estará pronto para sair ao sol. Mas não se esqueça: consulte um dermatologista regularmente para uma avaliação cuidadosa da pele.


Entenda quais os diferentes tipos de empresa

Depois de estruturar o plano de negócios, teu próximo passo é formalizar a empresa. É comum que no ato de abertura de um negócio, existam dúvidas quanto ao tipo de empresa previsto na legislação, quais as diferenças e em qual melhor se encaixam as particularidades de cada empreendedor. Pensando nisso, criamos este texto para sanar todas as suas dúvidas.

Para diferentes atividades ou números de sócios, existem diferentes tipos de empresa, e antes de colocar os planos em prática, é preciso entender quais são as diferenças e qual o mais indicado, pois a escolha refletirá nos direitos e deveres da administração do negócio.

INDIVIDUAIS

Empresário Individual (EI) – Como já diz o nome, é um tipo de empresa individual, ou seja, formada por uma única pessoa. O proprietário dá nome ao negócio e responde por ele, inclusive com seus bens pessoais.

Pode exercer atividades industriais, comerciais ou prestação de serviço, porém, não pode exercer serviços de profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, como médicos, engenheiros, arquitetos, psicólogos, entre outros.

Microempreendedor Individual (MEI) – Outro caso em que o empresário é o único proprietário do negócio e responde por ele, inclusive com seus bens pessoais.

Logo no ato da abertura, são enquadrados no Simples Nacional e, por isso, não possuem liberdade de escolha quanto ao regime Tributário.

Uma restrição é com relação ao faturamento. MEIs não podem passar de R$ 81 mil anualmente. Se alcançarem o valor, deverão transitar para Empresa Individual. Outra é que não podem passar de um funcionário. Caso haja necessidade, também deverão fazer a transição para EI.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) – A atuação, como nas demais, é individual, porém com responsabilidade limitada. O proprietário toma as decisões sozinho, seu patrimônio pessoal é separado do da empresa, responde financeiramente por ela até o limite do capital social e na empresa não usa seu nome, mas sim um nome empresarial.

Para abrir uma Eireli, a lei exige um investimento de, no mínimo, 100 salários mínimos no ato de abertura.

SOCIEDADES

Sociedade Limitada (LTDA) – Esse o tipo de negócio mais adotado no Brasil. É aquele no qual há dois ou mais sócios. Neste, os patrimônios de pessoa jurídica e pessoa física são separados. Os sócios são responsáveis financeira e administrativamente pela empresa conforme o capital social que aplicaram e a cláusula de exercício de administração do contrato social.

Quanto às decisões da empresa, um dos sócios só poderá tomar decisões sozinho se isto for previsto em contrato. Caso o contrato defina que as decisões devam ser feitas em conjunto, isso deve ser respeitado.

Sociedade Simples (SS) – Em termos de abertura contrato social e formalização nos órgãos públicos, as SSs tem algumas semelhanças com a Sociedade Limitada. O que a diferencia é a finalidade. A Sociedade Simples une prestadores de serviços para atividades intelectuais, técnicas e científicas.

Em geral, a responsabilidade dos sócios é ilimitada. Porém, poderá adotar a espécie societária de Sociedade Limitada - Sociedade Simples Ltda.

Sociedade Anônima (SA) – Por fim, a AS consiste em uma divisão de capital entre sócios, que são chamados de acionistas. Pode ser dividida em dois tipos: de capital aberto ou de capital fechado.

Ficou claro? Esperamos que sim! Recomendamos ainda que a abertura seja feita com a assessoria de um profissional Contábil, exceto nos casos de MEI, já que o registro pode ser feito pela internet por meio do Portal do Empreendedor.


Como aproveitar bem a estação mais quente do ano

É verão, a estação mais quente do ano chegou! A época é de mudanças no organismo. A temperatura elevada do dia, consequentemente, aumenta a temperatura corporal e o ritmo de trabalho do organismo. Ao mesmo tempo em que, com dias ensolarados e mais longos, o período proporciona mais disposição, ânimo e energia durante a rotina. Você pode aproveitar o que o verão tem de melhor para oferecer, sem esquecer-se dos cuidados com a saúde, a beleza e a higiene do seu corpo.

Pensando nisso, iniciamos hoje a nossa série Especial Verão. Durante o período, que segue até o dia 21 de março, daremos algumas dicas essenciais para você e toda família aproveitarem melhor a temporada.

Vale promover encontros, curtir praia, piscina, praticar esportes ou atividades ao ar livre, ao mesmo cuidar da alimentação com alimentos leves e saudáveis, manter-se hidratado e, claro, colocar em prática os cuidados com a pele.

Fique ligado em nossas próximas publicações!


Texto da reforma tributária é aprovado por comissão da Câmara

A comissão especial da Câmara dos Deputados que discute a reforma tributária (Proposta de Emenda à Constituição 293/04) aprovou na última terça (11) o texto de autoria do relator deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR).

O projeto tem como medida principal a unificação de 9 impostos e tributos em apenas um.

Serão extintos os tributos federais Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto Sobre Serviços (ISS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o Salário-educação, além do ICMS estadual e do ISS municipal.

Com a extinção, serão criados o Imposto Sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), de competência estadual; e o Imposto Seletivo (IS), de competência federal, para bens e serviços específicos.

A atual proposta não alterará a atual carga tributária.

O texto agora seguirá para análise do plenário da Câmara e, em seguida, pelo Senado, porém, só poderá ser aprovado na próxima legislatura.


16ª versão do RIR simplifica processo de apuração de impostos

Agora ficou mais simples, claro e seguro para o contribuinte o processo de apuração do imposto de renda. Publicado no último dia 23 de novembro, no Diário Oficial da União, o Decreto 9.580, de 22 de novembro de 2018, consolida as normas vigentes até 31 de dezembro de 2016 em um novo Regulamento.

A 16ª versão do RIR (Regulamento do Imposto de Renda) é resultado de uma revisão completa do texto do último Decreto, o de nº 3.000, de 26 de março de 1999. O documento traz mais de mil artigos e compila as normas de tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza, incluindo o Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, o Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica e Imposto de Renda Retido na Fonte.

Com a publicação, busca-se também a implementação de uma política de atualização constante do Regulamento, enquanto importante instrumento de transparência normativa e de consulta à legislação.

Confira o decreto na íntegra clicando aqui.


Dezembro Laranja alerta para a prevenção do câncer da pele

Ao contrário do que muitos pensam, o sol é fundamental para a saúde e o funcionamento do corpo. Porém, só não vale exposição sem proteção! A radiação solar pode causar e agravar problemas da pele como queimaduras, manchas e melasma. Por isso, durante o mês de dezembro, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) alerta sobre a prevenção, diagnóstico e acesso ao tratamento do câncer da pele, o mais incidente no Brasil.

O objetivo da campanha #DezembroLaranja é conscientizar a população para reverter o número de casos de câncer de pele no Brasil. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 30% de todos os tumores malignos do Brasil correspondem ao câncer da pele e a estimativa para até o ano que vem é de mais de 165 mil novos casos.

Em um país tropical como o Brasil, algumas recomendações básicas da Sociedade Brasileira de Dermatologia são: evitar horários com maior incidência solar (das 10h às 16h), utilizar chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo, procurar locais de sombra e hidratar-se. É importante também o uso diário de protetor solar com fator de proteção de, no mínimo, 30º.

Uma lesão indicativa de câncer tem algumas características marcantes, tais como: a aparência elevada e brilhante, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida e que sangra facilmente; pinta preta ou castanha que muda de cor e textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho; mancha ou ferida que não cicatriza e continua a crescer, apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

As áreas de risco são as que recebem mais exposição solar, como face, braços, couro cabeludo, orelhas e até os lábios. Por isso é importante sempre fazer o autoexame. Se surgir uma lesão que não cicatriza em 10, 15 dias, procure a ajuda de um dermatologista.

Para mais informações sobre a #DezembroLaranja acesse o site da campanha!


Encerra hoje o pagamento da primeira parcela do 13º salário

Termina nesta sexta-feira (30), o prazo para o pagamento da primeira parcela do 13º salário, por parte dos empregadores. Previsto na Lei 4.749/1965, o benefício tem natureza de gratificação em razão do período natalino. No Distrito Federal, por ser feriado em razão do Dia do Evangélico, o prazo foi até ontem (29). A determinação é que o benefício seja pago em até duas vezes. A segunda parcela tem data limite para o dia 20 de dezembro.

Tem direito à gratificação todo trabalhador que tenha atuado por 15 dias ou mais durante o ano e não tenha sido demitido por justa causa. Já para os trabalhadores que tenham se desligado da empresa, o pagamento é proporcional ao período trabalhado.

Os trabalhadores que não receberem a primeira parcela até o dia de hoje deverão procurar as Superintendências do Trabalho, as Gerências do Trabalho ou os sindicatos da categoria e registrar a reclamação. A empresa que se recusar a fazer o pagamento no prazo estipulado pode ser autuada e pagar multa.


Como fica minha contribuição ao INSS?

Há tempos que ouvimos sobre a reforma da previdência. Uma pauta do governo federal que pretende modificar algumas regras da aposentadoria dos brasileiros. Mas enquanto essa reforma não acontece, como fica a contribuição ao INSS, já que para muitos empresários, microempresários e autônomos essa contribuição consta na agenda de tributos obrigatórios?

Por enquanto, as regras para aposentadoria continuam as mesmas: mulheres que contribuíram por 30 anos e homens por 35 anos ou mulheres com 60 anos de idade e homens, 65.

Se você trabalha como pessoa jurídica, o regime Tributário é o Simples Nacional e tem o perfil de microempresário, deve recolher o INSS pelo seu pró-labore. O valor é de 11% sobre o declarado de pró-labore. Esse recolhimento é obrigatório a todo microempreendedor, mesmo quando há contribuição paralela em previdência privada.

Já para o profissional que presta serviços como pessoa física, o pagamento de INSS é feito sobre os recibos emitidos. O valor é de 11% para aposentadoria por idade e 20% para aposentadoria por tempo de contribuição.

É bom ressaltar que essas contribuições são obrigatórias e, caso não sejam realizadas, o contribuinte está sujeito às sanções da fiscalização.


Por que preciso de um serviço de contabilidade?

Quando você se forma, além da ansiedade de começar logo o trabalho, começam também as preocupações. Onde trabalhar, como rentabilizar o seu trabalho, como conciliar vida pessoal e profissional e assim por diante. Mas uma preocupação costuma ficar de fora: é a contabilidade.

Trata-se de um assunto maçante que, muitas vezes, fica de fora da agenda da maioria dos profissionais. No entanto é uma questão de suma importância, sobretudo a quem trabalha como pessoa jurídica.

Hoje, o acesso às informações financeiras dos cidadãos está cada vez mais avançado, e com a Receita Federal não é diferente. Com a digitalização e virtualização de notas e operações bancárias, a Receita mantém em seu banco de dados um número considerável de dados sobre você e sua empresa. Por isso, ter o próprio controle e registro dessas informações se tornou fundamental para evitar problemas com a fiscalização.

Resumidamente, a contabilidade pode salvar você e sua empresa em um ambiente de crise, além de garantir a legalidade fiscal, permitindo que você se preocupe apenas com o seu trabalho e na busca de seu sucesso.


Como evitar problemas com o fisco

Seja você pessoa física ou jurídica, invariavelmente um dia deverá prestar contas ao fisco. Quem já mantém esse relacionamento sabe que a burocracia e fiscalização no Brasil são certeiras. Mas não há motivo para se preocupar se você segue à risca as normas estabelecidas em lei pela Receita Federal.

Saiba que é possível se manter em dia com o fisco sem apelar à ilegalidade. A primeira dica é básica e serve para todos: mantenha um planejamento fiscal com o controle de todos os impostos a pagar. Isso pode ser feito com a boa e velha agenda ou calendário. Registre as datas de vencimento para efetuar os pagamentos devidos no prazo, pois a primeira regra da Receita é que ela não tolera atrasos e pune o contribuinte com multas e até responsabilidade legal, além disso, caso trabalhe em órgão público, poderá atrasar seus pagamentos.

É possível também você escapar de tributações elevadas sem sonegar impostos. A chamada elisão fiscal é uma estratégia legal das empresas em mudar o regime Tributário e o município sede da sua empresa para localidades em que a carga tributária é menor. Lembrando que qualquer movimentação dessa ordem deve estar amplamente respaldada na lei.

Uma boa saída também é realizar denúncias espontâneas à Receita, antes da autuação do órgão. Você verifica alguma irregularidade em sua empresa e informa à Receita, assim não será penalizado com multas (desde que não haja fiscalização do órgão e tributos não quitados).

Uma última e preciosa dica é utilizar a tecnologia a seu favor. Há inúmeros sistemas, aplicativos e planilhas disponíveis na internet para gestão, pois como você viu aqui, para evitar problemas com o fisco, a única saída é ter um bom e efetivo gerenciamento fiscal de suas contas e de sua empresa.